Filme-instalação “Água Ardente” inaugura na Biblioteca Popular de Pedro Ivo a 18 de dezembro

“Água Ardente”, a instalação fílmica comissariada à Cooperativa Cultural Laia para a
Biblioteca Popular de Pedro Ivo, inaugura no sábado, 18 de dezembro, às 17
horas. Partindo de um convite do Departamento de Cinema e Imagem em
Movimento da Ágora a Laetitia Morais, Mónica Baptista e Sofia Arriscado, o
filme, aprestado em três canais/projeções, explora detalhes sociais,
urbanísticos e históricos da Praça do Marquês e também memórias da própria
biblioteca.

A identidade
da Praça do Marquês – antigamente conhecida como “Largo de Agoa Ardente”,
devido ao mercado que se realizava no local onde a bebida espirituosa era
comercializada – serviu de premissa para o projeto e para o convite feito às
artistas.

Segundo a
Cooperativa Cultural Laia, esta ideia de transformação, que abarca as próprias
mudanças da praça, é amplamente explorada no filme, a partir de visões
deambulatórias.

A bebida
serviu ainda como elo de ligação entre as artistas e pessoas que frequentam
habitualmente a Praça do Marquês, proporcionando a partilha de memórias do
local: “Conhecemos, no processo de criação da obra, várias pessoas que vivem
diariamente a praça (até bebemos aguardente com elas) e esses momentos também
estão presentes na vídeo-instalação”, explicam.

O projeto
pretende não só ocupar o espaço da biblioteca, mas também relacionar-se com o
dia-a-dia da Praça do Marquês, e, por isso, o filme poderá ser visto tanto no
interior da biblioteca como no exterior, funcionando como um convite a quem por
ali passa.

A
instalação “
Água Ardente” poderá
ser visitada gratuitamente todos os dias até 30 de janeiro, entre as 16 e as 22
horas (exceto a 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro 2022).