2021-10-25
Numa torre medieval da Ribeira do Porto está a ser criado um laboratório de cinema analógico

O Laboratório de Cinema da Torre nasce da vontade de criar um espaço partilhado de experimentação, produção e formação nos meios analógicos do cinema (super8, 16mm e 35mm), que permita a realizadores e artistas investir no formato analógico e ter contacto com processos de revelação em película.

Dirigido num modelo cooperativo aberto ao público, este laboratório de cinema inédito em Portugal vai funcionar numa torre medieval do século XIII no centro histórico da cidade, imóvel cedido pela Câmara Municipal do Porto à cooperativa Laia para a implementação do projeto, em parceria com o Batalha Centro de Cinema e a Filmaporto – Film Commission.

A Laia – cooperativa dedicada à produção cinematográfica e artística fundada em 2019 por Laetitia Morais, Mónica Baptista e Sofia Arriscado – e a curadora e investigadora Margarida Mendes serão responsáveis pela produção e realização de filmes, mostras de cinema e formações, residências artísticas e aluguer ou empréstimo de equipamentos.

Dando resposta à demanda da comunidade artística local e internacional por uma estrutura do género e tendo como objetivo estimular a produção de cinema no país, o Laboratório de Cinema da Torre pretende atrair um público diverso e transgeracional – desde realizadores, artistas visuais, diretores de fotografia, diretores de produção, técnicos e investigadores até estudantes ou amadores, que poderão desfrutar de atividades de natureza cinematográfica, social e pedagógica.

O laboratório tem já parcerias estabelecidas com entidades ligadas ao cinema e às artes, tais como Doc’s Kingdom, Cherry Kino, CIAJG, Casa de Xisto, Rua Escura, Terra Treme, Átomo 47 e Nanolab.

Através da criação deste equipamento, Portugal passará a fazer parte da filmlabs.org, rede de laboratórios de cinema geridos por realizadores e artistas.