2021-12-07
A primeira longa-metragem de Diogo Costa Amarante está a ser rodada no Porto

O realizador Diogo Costa Amarante está a filmar a sua primeira longa-metragem, “Safe Only”, no Porto com o apoio da Filmaporto — film commission.

O Bairro do Foco, a Rua de Santa Catarina, o Palácio das Águas e a Casa da Música foram alguns dos cenários escolhidos para a rodagem do filme que arrancou em outubro depois de ter sido adiada em 2020. “Prevíamos iniciar as gravações num momento que coincidiu com o princípio da pandemia. Foi necessário suspender todos os trabalhos preparatórios e substituir décors e localizações, uma vez que alguns deles se tornaram impraticáveis no contexto da pandemia”, explica o cineasta.

“Safe Only” – título provisório – é uma comédia de enganos onde três gerações diferentes – filho, mãe e avó – se debatem com estereótipos e paradoxos, ilusões e angústias, que impedem a vivência do amor. “Safe Only é uma expressão utilizada nos aplicativos de encontros casuais que significa sexo protegido apenas. O filme evoca este princípio, de segurança e proteção, transpondo-o criticamente para o universo de outras relações de intimidade, amorosas ou familiares, que, portanto, extravasam o teor estritamente sexual”, revela Diogo Costa Amarante.

Para o argumento, o realizador inspirou-se nas vivências no antigo bairro operário da Fontinha e nas pessoas que habitam na cidade. “O filme tira partido de uma certa densidade atmosférica que distingue o Porto de outras cidades, colocando-a em diálogo com as personagens e as situações."

O bairro já tinha servido de inspiração para a curta-metragem anterior, “Luz de Presença”, premiada recentemente no Festival do Novo Cinema de Montreal, no Canadá, com um Lobo de Prata. “Uma vez, no final de uma projeção de um dos meus filmes, um senhor aproximou-se de mim e disse-me, comovido, que o filme o tinha tocado muito”, recorda o realizador. “Os prémios são um estímulo adicional para continuar a fazer filmes”.

Ainda sem data de estreia, “Safe Only” é a segunda produção da O Verde do Jardim, produtora fundada recentemente no Porto por Diogo Costa Amarante e destinada exclusivamente às produções do realizador.

A equipa do filme é composta por Carloto Cotta, Sandra Faleiro, Anabela Moreira e Cucha Carvalheiro (elenco), Patrick Mendes (1.º Assistente de Realização), Raquel da Silva (Diretora de Produção e Diretora de Casting), Joana Cordeiro (Chefe de Produção), Sabine Lancelin (Diretora de Fotografia), Luís Silveira (Diretor de Som), Bruno Duarte (Diretor de Arte) e Fernanda Borges (Figurinista).