2022-05-10
Filmaporto lança 2.ª edição das bolsas de apoio a filmes realizados no Porto

A Câmara Municipal do Porto aprovou, em reunião do Executivo, a atribuição de cinco bolsas, no valor de 20.000 euros cada, no âmbito do programa de apoio ao cinema produzido na cidade da Filmaporto — film commission. As bolsas são dirigidas a curtas e longas-metragens de ficção, documentário ou animação, cinema experimental, vídeo-ensaio e séries. A fase de candidaturas decorrerá entre 16 de maio e 3 de junho de 2022 e o regulamento está disponível aqui. 

Pelo segundo ano consecutivo, serão atribuídas três bolsas Neves e duas bolsas Pascaud, modalidades de apoio dirigidas a diferentes candidatos e que devem o seu nome aos fundadores da Neves & Pascaud, a primeira empresa a apresentar filmes ao público no Porto. À bolsa Neves poderão candidatar-se artistas, realizadores e produtores residentes no concelho do Porto, enquanto a bolsa Pascaud é destinada a artistas, realizadores e produtores a residir fora do concelho. As candidaturas serão avaliadas pelo júri composto por Ana Moreira (atriz e artista plástica), Joana Gusmão (produtora e programadora) e Samuel Barbosa (realizador e produtor de cinema).

Este programa de apoio visa estimular a criação de cinema produzido integralmente no Porto e promover a contratação de empresas e técnicos ligados ao setor audiovisual da cidade. Na edição de 2021, de um total de 53 candidaturas admitidas a concurso, o júri – composto por Américo Santos (cineclubista, produtor, distribuidor, programador e proprietário do Cinema Trindade), Paulo Cunha (historiador, docente e investigador) e Filipa Reis (produtora e realizadora) – selecionou os projetos “Quase me lembro”, de Dimitri Mihajlovic e Miguel Lima, “O Pátio do Carrasco”, de André Gil Mata, e “A Hora da Estrela”, de Rita Barbosa, para a atribuição da bolsa Neves. A bolsa Pascaud foi concedida a “O Pão”, de Lúcia Prancha, e “Grito”, de Luís Costa.